Ele está lá e você nem percebeu

Netflix lança maior sucesso de bilheterias. Inédito.

por JotaB, Floripa, 9/5/19 7h27m

Aos assinantes da Netflix e concorrência uma notícia intrínseca.

Quem lança algo novo sempre faz alarde. Em tudo. Faz maior investimento, coloca maior visibilidade possível.

Mas, nem sempre.

Foi o que fez a dona Netflix agora.

Dia 30 de Abril, portanto, a menos de 10 dias, ela lançou um filme que está sendo, no Mundo, um campeão de bilheterias: “Terra à Deriva“. Uma produção totalmente chinesa e que é grande em tudo.

O filme está no catálogo da operadora, consta da lista dos “Lançamentos”, mas, está lá de forma discreta. Na janela de imagens que ela divulga sua própria propaganda, dentro de sua ferramenta, ela exibe o trailer misturado com os outros lançamentos nem tantos chamativos.

Por ser chinês, sem preconceitos, não dá pra se dizer se é realmente tudo isso, haja visto que em matéria de filmes, muitos países (a China entre eles) estão longe de ser uma Hollywood. Brasil que o diga.

Então, o negócio é assistir e tirar nossas próprias conclusões. Coisa que irei fazer o quanto antes. Mas, enquanto isso…

Enquanto o mundo todo está voltado para os grandes blockbusters de Hollywood como “Vingadores: Ultimato”, a Netflix estreou um sucesso de bilheteria, de ficção científica, que já faturou mais de US$ 700 milhões e que se tornou a segunda maior bilheteria de todos os tempos na China. Atualmente, sua bilheteria é a terceira maior dentre os filmes em exibição – mesmo com Ultimato dominando as listas de maior faturamento.

Sua arrecadação mundial impressiona e está próxima de grandes sucessos do cinema, como “Capitã Marvel”. Essa é uma conquista bastante impressionante, se levarmos em conta que o filme passou brevemente pelos cinemas dos EUA. O filme está legendado em diversos idiomas, inclusive português do Brasil. A produção conta a história de pessoas tentando salvar a Terra de ser destruída pelo sol.

A escala de produção do filme é enorme. Sua pós-produção e seus efeitos visuais levaram dois anos para serem feitos. Tudo isso incluiu mais de duas mil tomadas de efeitos especiais, além de uma “quantidade substancial de imagens de computação gráfica”.

Samir Ansari é supervisor de efeitos visuais da empresa Pixomondo, e trabalhou na construção das cenas do filme. Ele disse que ele, juntamente com seus colegas, colocaram uma quantidade significativa de trabalho na produção, montando mais de 200 tomadas e criando mais de 180 modelos de efeitos diferentes para serem usados. É uma película que envolve a destruição em potencial da Terra, por isso, os efeitos especiais devem ser bem trabalhados para garantir uma aparência épica.

Samir declarou que este é um dos filmes mais desafiadores que ele já trabalhou, em parte porque o mercado de efeitos visuais na China para blockbusters de ficção científica está em estágio inicial. Não houve nenhuma grande produção nesse estilo no país nos últimos tempos, para que eles pudessem se basear visualmente.

O filme é baseado em um dos contos presentes no livro “Wandering Earth” do escritor Liu Cixin, o primeiro asiático vencedor do Prêmio Hugo de Ficcção Científica. A produção já está disponível e pode ser assistida por todos os assinantes da Netflix. Confira o trailer: AQUI.

 

Please like & share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *