A conectividade e os Esquemas de Segurança.

O Futuro foi ontem.

por JotaB, SJosé, 13/11/2019, 11h45m

Muitas previsões futuritas, à cerca da tecnologia que se imagina que surgirá, já foram feitas. O cinema está cheio de conteúdo do tipo. Os mais antenados certamente estão neste momento, apontando uma série deles. Os eventos de todos os setores ligados diretamente à tecnologia digital, estão apontando caminhos.

Brad Smith, presidente da Microsoft, se apresentou no Web Summit, em Lisboa, e falou sobre o que ele acredita que vai marcar a próxima década na área da tecnologia. O executivo afirmou que a computação quântica é a principal delas, permitindo que os cálculos e análises de dados sejam feitas com mais velocidade. Outra tecnologia que marcará a década é o 5G. Com esse avanço, Smith acredita que a rede se tornará mais ambiente, como a eletricidade. “Estará tão presente em nossas vidas que não pensaremos nela diretamente”, comentou. Assim, a inteligência artificial vai evoluir ainda mais, com a habilidade de operar fora de pequenos caminhos e permitindo insights em múltiplas disciplinas. Para armazenar esse progresso, Smith acredita que os centros de dados em nuvem vão se expandir e se inovar, “se não, nunca conseguiremos acompanhar a expansão que está por vir”, finalizou.

As lentes super-poderosas que estão ana Estação Espacial Internacional ou em amontados de satélites ao rdor do planeta, ou ainda, as câmeras em foguetes vagueando pelo cosmos, uns na atmosfera de Marte, outros em Júpter, outrosa saindo de nossa galáxia, mandam imagens e informações e criam com isso, caminhos para uma corrida espacial futurista.

Na Terra temos os testes com carros que voam, os que andam sem motoristas (autonômos), a nanotecnologia invadindo várias áreas -entre elas, a medicina, a exploração do Grafeno e a descoberta de um super-caborno -os carbinos.

Na era ado avanaço mais rápido que o próprio avanço, já sabemos que o que nos espera nos próximos anos é reflexo da evolução da conectividade.

CONECTIVIDADE – O que torna o futuro, passado agora.

A seguir, um exemplo de como a nova “conectividade”, junto da “internet das coisas”, irão ajudar na vida das pessoas.

Sensores de movimento inteligentes (com câmera infravermelho), teclados e sirenes, tudo isso sem nenhuma fiação e com possibilidade de controle remoto por meio de aplicativos para smartphones. Há alguns anos, tecnologias avançadas como essas eram consideradas exclusivas a poucos, mas isso tem mudado no mercado de segurança patrimonial.

Empresas de segurança e tecnologia, como a Intelbras, já oferecem no mercado sistemas de segurança totalmente sem fio, que podem ser usados em residências e empresas de todos os tamanhos. Esses sistemas são compostos por mais de um equipamento, sendo que cada um possui seu papel para proteger o patrimônio em todas as pontas.

O Sistema 8000, da Intelbras, por exemplo, traz em seu portfólio uma central de alarme, sirenes, teclados, sensores para área externa e interna, sensores com fotoverificação e sensores específicos para monitoramento de portas e janelas. Todos esses equipamentos permitem que seja elaborado um sistema de segurança totalmente sem fio, com capacidade de vigilância de até 16 ambientes, que podem ser subdivididos em até 64 setores, o que reduz muito a chance de existirem pontos cegos que fiquem sem proteção, seja em uma residência ou em uma empresa.

Fácil controle e design discreto

Mais do que ser um sistema de segurança com tecnologia de ponta, um sistema de intrusão precisa ser discreto. Afinal, quanto menos perceptíveis forem os equipamentos que protegem um ambiente, mais chance eles têm de capturar imagens de potenciais invasores. É por isso que a ausência de fios se torna uma vantagem para o sistema 8000.

Mesmo sem conexão física por fios, os aparelhos que compõem o sistema 8000 podem ser controlados, por meio do aplicativo Intelbras Guardian. O app permite o controle remoto dos equipamentos e o acompanhamento em tempo real de tudo que acontece nos ambientes vigiados.

O Intelbras Guardian pode ser usado, inclusive, para tornar a residência mais inteligente. Com ele é possível acionar o portão de uma garagem, ligar ou desligar uma determinada lâmpada, por exemplo, isso caso o cliente tenha produtos e sistemas compatíveis com o app.

Central de alarme

A central de alarme é um dos principais itens do sistema de segurança. Ela recebe as informações dos sensores e é ativada quando eles detectam alguma invasão nos ambientes monitorados. A central pode ser monitorada ou não, dependendo do interesse do usuário.

Uma central monitorada é aquela que tem conexão direta com uma empresa terceirizada de vigilância, que pode acionar a polícia ou uma equipe de segurança para verificar um disparo no sistema. Já uma central não monitorada é aquela que avisa o cliente quando há algum alerta. Nesse caso, cabe ao próprio usuário avaliar, por meio das imagens que recebe no aplicativo, a ação que irá tomar.

Sensores inteligentes

Os sistemas de segurança também são compostos por outros equipamentos além da central, como alarmes sonoros e sensores de movimento. A função de fotoverificação do sensor do sistema 8000 merece destaque. Por usar infravermelho, o modelo oferecido pela Intelbras é capaz de identificar invasores em ambientes com pouca ou quase nenhuma luminosidade.

Esse sensor realiza a leitura de variações de temperatura e dispara o alarme quando algum corpo ou objeto estranho proporciona variações mal intencionadas. No momento em que ocorre a invasão do espaço, o sensor faz a captura da imagem do local, envia um alerta e a foto do espaço para o cliente, ou para a empresa de monitoramento, por meio do aplicativo. A vantagem é que, graças a essa tecnologia, as fotos são feitas sem flash, assim o invasor não percebe que está sendo registrado, o que aumenta suas chances de captura.

Como essa solução de segurança pode ser usada em diversos ambientes, inclusive em residências, ela é adaptada para qualquer tipo de lar, até mesmo para aqueles que possuem animais domésticos. Isso porque o sensor do sistema apresenta “imunidade PET”, ou seja, não dispara alarmes falsos para a movimentação de animais de médio porte – até 20 quilos – que estejam no ambiente.

São várias as diferentes soluções que podem ser adicionadas em um único sistema de segurança patrimonial. Além dos sensores infravermelhos, há também modelos voltados para monitorar a abertura de portas e janelas e repetidores de sinais, para projetos em grandes espaços.

 

 

 

 

Please like & share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *