A Bateria que não precisa recarregar

O que vem por aí

por JotaB, SJ, 26-10-19, 11h20m

Tem hora que pareço estar vivendo dentro de um filme. Tamanha as informações que me chegam.

Já vimos muitos sonhos em filmes que viraram realidade.

Quem não sonhou em estar num carro voando! Num carro!

Agora são as baterias.

Primeiro, os motoristas com as baterias dos carros. De tempos em tempos, tinha que ficar colocando água ou fluido.

Era uma chatice! Uma vez por semana ficar olhando o nível de fluido na baeria. Mas a indústria evoluiu e começou a fabricar uma bateria que não precisa disso. Apenas, de tempos em tempos, ter que trocar a bateria.

Depois vieram os Notebooks e mais um pouquinho depois, os celulares.

Quanta chatice ter que ficar concectgando cabos para carregar estes aparelhos.

Mas, enfim, temos os cientistas.

AMADOS CIENTISTAS!

Uma equipe de cientistas das universidades de Alberta e Toronto esboçaram uma “bateria quântica” que jamais perderia sua carga. A tecnologia ainda não foi produzida, mas caso eles consigam montar a teoria na prática, seria uma inovação revolucionária no armazenamento de energia.

“As baterias com as quais estamos familiarizados (como a bateria de íons de lítio que alimenta seu smartphone) baseiam-se em princípios eletroquímicos clássicos, enquanto as baterias quânticas dependem apenas da mecânica quântica”, disse Gabriel Hanna, químico da Universidade de Alberta.

Um artigo sobre a pesquisa foi publicado no Journal of Physical Chemistry C. em julho deste ano. Ele explica que a bateria funciona aproveitando o poder da “energia excitônica”, que é o estado em que um elétron absorve fótons suficientemente carregados.

Os pesquisadores, então, descobriram que o modelo de bateria resultante deve ser “altamente robusto às perdas de energia”, graças ao fato da bateria ser preparada dentro de um chamado “estado escuro”, no qual não é possível trocar energia com o ambiente, seja absorvendo ou liberando fótons.

Ao quebrar a rede quântica do estado escuro, os pesquisadores afirmaram que a bateria poderia descarregar e liberar energia no processo. No entanto, a equipe ainda não encontrou soluções viáveis para tornar isso possível. Eles também estão tentando descobrir uma maneira de escalar a tecnologia para aplicativos do mundo real.

Enfim, estão quase lá……

Please like & share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *